Eu agora sei para onde estou indo.

janeiro 10, 2019


Faz bastante tempo que eu me motivo por aquele verso de Any Road do George Harrison: “if you don’t know where you are going, any road will take you there”¹. Existem tantas coisas que eu já quis ser, que eu acabei não sabendo pra onde ir. Minhas duas profissões dos sonhos de criança eram caixa de supermercado e professora. Achava lindo os teclados coloridos das caixas e o ensinar das professoras.


Depois, desencantei. Não porque me encantei por outra coisa, mas por passar a ter medo de supermercado fechando e ter coletado mágoas durante o período escolar.


Assim fiquei, um tempão sem saber pra onde ia, tentei fazer História da Arte inspirada pelo amor pela história e pela arte, mas uma situação bastante humilhante me ocorreu e eu desisti. Não estava lá pra nada senão aprender. O diploma pouco me importava, até que uma professora surtou na frente da sala inteira numa aula de Arte e Moda porque eu estava abrindo mão de me formar “a tempo” pra fazer aquela disciplina. Não achei que eu conseguiria ter aulas com aquela professora por mais três ou quatro anos... Não renderia aprendizado algum...


Decidi fazer bacharelado em Letras – Libras, eu gosto demais de Cultura Surda e pensei “ah, se eu for diplomata, posso fazer o curso que eu quiser e tudo bem, então vou aproveitar e conhecer a Cultura Surda também”. Digamos que avaliar o meu desempenho em vídeo praticamente toda semana não era a minha coisa favorita de se fazer, e eu ter muita vergonha não me ajudou muito... Percebi que não funcionaria muito bem e não conseguiria fazer estágios e afins. Mas puxa, eu já estava há tanto tempo lá...



Decidi que, já que eu basicamente queria aprender sobre o mundo (e imaginava que ser diplomata me levaria a isso), decidi prestar vestibular de novo. E foi o que eu fiz, voltei ao pré-vestibular que eu havia frequentado em 2014. Fazer cursinho em 2014 foi uma das coisas mais gostosas da minha vida, eu realmente amo aquele lugar. E eu me apaixonei por ele de novo. Só que agora foi muito diferente. Talvez por estar mais velha, eu já esteja pensando mais adiante... E ele me deu a perspectiva. É lá que eu quero trabalhar no futuro, como professora. E a partir de agora, eu já sei para onde ir.


¹ Se você não sabe aonde ir, qualquer caminho te levará até lá.